Tribunal de Contas do Piauí banca 58 servidores em Olimpíada em Brasília

Corte paga inscrições de R$ 1.250, cada, em evento esportivo que começa neste sábado, 28, e inclui truco, sinuca, dominó, pebolim, futebol society, futebol de salão, voleibol indoor, voleibol de praia, tênis de mesa, corrida, pesca esportiva, beach tênis, tiro esportivo
Começa neste sábado, 28, em Brasília, a Olimpíada dos Tribunais de Contas. Na lista de ‘atletas’, estão 58 servidores do Tribunal de Contas do Piauí, que rumarão à capital federal com as inscrições de R$ 1.250, cada um, pagas pela Corte, para disputar até 22 modalidades esportivas, do basquete ao truco, passando por futebol, sinuca e dominó.

A delegação da Corte piauiense conta com auditor de controle externo, chefe de gabinete, assessor especial da Presidência e cabo. Os salários dos servidores no Tribunal passam por R$ 2,5 mil, R$ 15 mil e chegam a R$ 28 mil.

O presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Olavo Rebêlo de Carvalho Filho, havia sido foi autorizado a se afastar para participar da abertura da competição. Segundo a Corte, o conselheiro desistiu de ir.

A autorização para o afastamento do presidente foi dada por seu vice, Abelardo Pio Vilanova e Silva, e registrado no Diário Oficial, na quarta-feira, 25.

“Resolve autorizar o afastamento do conselheiro Olavo Rebêlo de Carvalho Filho, no período de 25 de outubro a 29 de outubro do corrente ano, para participar do I Fórum Nacional de Controle e Reunião do Colégio de Presidentes, no período de 26 a 28 de outubro de 17, permanecendo para a abertura das Olimpíadas dos Tribunais de Contas – 2017, atribuindo-lhe 4,5 (quatro diárias e meia)”, informa o documento.

No Diário Oficial desta sexta-feira, 27, o nome do conselheiro Olavo foi retirado da delegação autorizada a representar a Corte de Contas na Olimpíada.

A competição vai até 2 de novembro. Os servidores podem disputar futebol society, futebol de salão, voleibol indoor, voleibol de praia, tênis de campo, tênis de mesa, corrida 5Km e 10Km, pesca esportiva, beach tênis, tiro esportivo, basquete, natação, bocha, boliche, dama, dominó, futevôlei, pebolim, poker, truco, sinuca, xadrez.

“Estudos mostram e comprovam que a qualidade de vida do servidor reflete diretamente na produção e na qualidade dos trabalhos executados por ele. O esporte é a forma mais eficaz de aliviar tensões, contribuindo para a saúde física e mental, renovando energias e diretamente influenciando na autoestima, fazendo com que o servidor execute suas funções de uma forma mais tranquila, produzindo mais e melhor”, informa o convite da Olimpíada.

A inscrição na Olimpíada inclui custos com hospedagem, parte da alimentação e deslocamento terrestre. Segundo a Corte de Contas do Piauí, ‘não há liberação de diárias’ para seus servidores.

“As Olimpíadas dos Tribunais de Contas são um evento que ocorre há mais de dez anos e a participação de servidores do TCE-PI em atividades esportivas faz parte da Política de Qualidade de Vida e Saúde do Servidor do TCE-PI”, afirma a Corte.

O site do evento aponta para cinco patrocinadores. Na lista estão a Caixa Econômica Federal e o Governo Federal.

São indicados, pela Olimpíada, três pacotes: participantes sem hospedagem – para quem mora em Brasília -, por R$ 625, executivo duplo e triplo – hoteis confortáveis com localização privilegiada –, por R$ 1.250, e premium – com café da manhã incluso e vista para o Lago Paranoá, por R$ 1.500. Estes valores estavam válidos até 31 de maio.

As equipes que se inscreveram até 30 de junho não tiveram desconto: R$ 1.668 (premium), R$ 1.390 (executivo) e R$ 694,5 (participantes de Brasília). O pagamento podia ser dividido em até quatro parcelas.

Regras. A competição tem um regulamento de 15 páginas. Na primeira, a organização da Olimpíada aponta para a necessidade de ‘desenvolver a integração, através do intercâmbio desportivo, entre os servidores (efetivos e comissionados), conselheiros, auditores substitutos de conselheiros, ministros, membros do Ministério Público, ativos ou inativos, dos tribunais de contas do Brasil’.

“A Olimpíada dos Tribunais de Contas tornou-se uma tradição entre as Cortes de Contas, onde, por meio do esporte, se promove o congraçamento e a interação entre servidores e membros, reduzindo-se distâncias, aproximando aqueles que laboram no dia-a-dia no aprimoramento e na lisura do controle dos recursos públicos, contribuindo para o melhor exercício da função constitucional dos Tribunais: o controle Externo, para a construção de um Brasil melhor”, diz o regulamento.

O artigo 11 estabelece que ‘todo o atleta inscrito deverá apresentar a Declaração de Aptidão Física, que deverá ser entregue no Congresso Técnico pelo representante e/ou delegado para a Comissão de Organização’.

O Código Disciplinar da Olimpíada prevê, no artigo 17, que ‘o atleta, técnico e/ou delegado que provocar distúrbios ou que tentar desvirtuar a finalidade dos Jogos, estará sujeito a uma das seguintes penalidades a ser aplicada pelo Conselho de Julgamento: a) advertência; b) suspensão de uma ou mais partidas e ou modalidade; c) eliminação da Olimpíada’.

O artigo 38 dispõe sobre os prêmios da competição. “Serão oferecidas medalhas para todos os classificados em primeiro, segundo e terceiro lugares, em cada modalidade/categoria/gênero.”

Leia mais no Blog do Fausto Macedo

Comentários